Quem Somos
  Nossa Opinião
  Cursos e Visitas
  Turismo Educacional
  Turismo Religioso
  Jornal Assiraj
  Loja Virtual
  Sermões de Sexta-Feira
 Baixe Revistas Grátis
  O Islã em Arquivos
  Livros Virtuais
  Baixe Livros Grátis
  Trabalhos Acadêmicos
 
  Islamismo
  Leia o Alcorão Sagrado
  Princípios Religiosos
  Práticas Religiosas
  Perguntas e Respostas
  Calendário Islâmico
  Aulas de Religião
  Horários das Orações
 
 
A PALESTINA NÃO É AQUI, NEM FICA EM ISRAEL
por: Salem Nasser
QUANDO SURGIU O TERRORISMO
por: José Farhat
 
  Jurisprudência
  A profecia e os profetas
  O Profeta Muhammad
  Os Imames
  Dia da Ressurreição
  Assuntos Sociais
  A Economia no Islã
  Espaço da Mulher
  Sites Recomendados
  Jesus no Alcorão
 
  Tour Virtual
  Vídeos
  Recitação do Alcorão
  Papéis de Parede
  Proteções de Tela
  Recitação de Súplicas
 
 

cadastre-se para receber
os Informativos.


Email:

 
 

 

 

 

 

 

O SIGNIFICADO DE MUHAMMAD (s.a.a.a.s.) PARA A HUMANIDADE

Os muçulmanos lembram no dia 28 de Safar (18/03) o falecimento do Nobre Profeta Muhammad (Deus abençoou a ele e a sua Família e os saudou). O Consolador, o Espírito da verdade, o Mensageiro de Deus, sobre cuja vinda Jesus (a.s.) havia deixado boas novas, nasceu na Arábia no ano 571 da era Cristã. À época do seu nascimento, a verdadeira religião havia sido esquecida ou distorcida em todo o mundo.

O povo entre o qual ele nasceu, os árabes ismaelitas, eram politeístas e idólatras. Eles estavam imersos em vícios e superstições de todos os tipos. Não havia nenhuma lei entre eles além da lei da selva, e, às vezes, alguns costumes tribais.

Entre essa gente, que se havia desviado a tal ponto do caminho de Deus, o Profeta Muhammad (s.a.a.a.s.) cresceu para se tornar um homem de Deus. Ele se destacava entre eles por seu caráter puro e imaculado, seu amor pela verdade e compaixão pelos pobres e pelos oprimidos. Eles o chamavam de Al-Amin, ou seja,“O Confiável, O Leal”.

À medida em que ele se tornou adulto, as superstições e maus costumes de sua gente causavam-lhe cada vez maior tristeza no espírito. Passou muitas horas em comunhão com seu Criador e em meditação sobre a meta ou objetivo da vida do homem. Ele ansiava guiar sua gente ao caminho reto, para "trazer Deus até o homem, e o homem até Deus."

Quando ele estava com quarenta anos de idade, a Luz Divina brilhou com toda a sua resplandecência no seu coração e ele foi escolhido por Deus para ser Seu Mensageiro à humanidade. Ele passou a pregar-lhes que havia um só e único Deus, o Criador Amantíssimo e Provedor de todo o Universo.

Ele os exortou a evitar todos os tipos de mal e crueldade e a amarem-se uns aos outros. Disse-lhes que a verdadeira religião consistia em livrar os outros da necessidade, do sofrimento e atuar no serviço aos semelhantes. Ensinou, também, que as cerimônias religiosas eram totalmente inúteis se elas não ensinavam nem treinavam o homem a se tornar mais probo e a trabalhar pelo bem dos outros.  

"Tens reparado em quem desmente a religião? Em quem repele o órfão, e não estimula a alimentar os necessitados? Aí, pois, dos adoradores, que são negligentes em suas orações, que as fazem por ostentação, negando-se, contudo, a prestar obséquios." (Alcorão Sagrado 107:1-7).

Ele atacou pelas raízes a falsa superioridade baseada na cor, casta, raça ou nacionalidade, declarando que todos os seres humanos eram irmãos.

No entanto, o tratamento dado ao Profeta Muhammad (s.a.a.a.s) por seu povo não foi diferente daquele dado aos profetas anteriores. Ele foi rejeitado pelas pessoas que tinham interesses escusos, que amavam o mundo material e negligenciavam a espiritualidade, e foi submetido a todo tipo de crueldades.

Muitos daqueles que acreditaram nele foram brutalmente assassinados. As tribos de Makkah juntaram-se numa tentativa de acabar com a vida dele. Após suportar tais torturas e crueldades, por treze longos anos, com paciência e indulgência quase sobre-humanas, o Profeta Muhammad (s.a.a.a.s.) finalmente emigrou para Madina, onde um grande número de pessoas já se havia convertido ao Islam e se tornado seus seguidores. Este foi o ponto decisivo de sua vida.

O povo de Madina não só acreditou nele e na sua mensagem, mas também o fez chefe do seu estado. Aqui, o Profeta Muhammad (s.a.a.a.s.), além dos seus apelos comovedores para a mudança de espírito e transformação do caráter individual, elaborou as ramificações sociais da sua mensagem.

As muitas mudanças revolucionárias que ele introduziu incluíram a elevação das mulheres a uma posição de igualdade aos homens, empreendeu a abolição da escravatura, a proibição total de todos os tipos de bebidas embriagantes e de jogos de azar, eliminação de toda e qualquer sorte de exploração, acabando com a casta sacerdotal e instituindo a liberdade religiosa para todos os indivíduos e comunidades; introduziu o mais esclarecido código de leis jamais conhecido pelo homem e estabeleceu um Estado de justiça social e uma forma de administração pública que trouxe uma graduação ideal de justiça e misericórdia.

Ele estabeleceu uma irmandade universal na qual não havia qualquer distinção com base em raça, cor, língua, riqueza ou sexo. A característica que distinguia aqueles que se filiavam à congregação era o zelo pelo serviço ao Deus único e à humanidade.

Após completar a sua missão, o Profeta Muhammad (s.a.a.a.s.), o derradeiro Profeta de Deus, deixou este mundo no ano 632 da era Cristã, legando o Sagrado Alcorão, que lhe fora revelado por Deus, e seus próprios ditos, para orientar os povos por todo o porvir.




 

 

 
Shawal de 1438





Acesse a versão Real Paper do Jornal Assiráj
Clique Aqui












 

 

 

inicial | artigos | notícias | contato


2007 Todos os Direitos Reservados - ibeipr.com.br ®
Desenvolvido por Fatcho