Quem Somos
  Nossa Opinião
  Cursos e Visitas
  Turismo Educacional
  Turismo Religioso
  Jornal Assiraj
  Loja Virtual
  Sermões de Sexta-Feira
 Baixe Revistas Grátis
  O Islã em Arquivos
  Livros Virtuais
  Baixe Livros Grátis
  Trabalhos Acadêmicos
 
  Islamismo
  Leia o Alcorão Sagrado
  Princípios Religiosos
  Práticas Religiosas
  Perguntas e Respostas
  Calendário Islâmico
  Aulas de Religião
  Horários das Orações
 
 
A PALESTINA NÃO É AQUI, NEM FICA EM ISRAEL
por: Salem Nasser
QUANDO SURGIU O TERRORISMO
por: José Farhat
 
  Jurisprudência
  A profecia e os profetas
  O Profeta Muhammad
  Os Imames
  Dia da Ressurreição
  Assuntos Sociais
  A Economia no Islã
  Espaço da Mulher
  Sites Recomendados
  Jesus no Alcorão
 
  Tour Virtual
  Vídeos
  Recitação do Alcorão
  Papéis de Parede
  Proteções de Tela
  Recitação de Súplicas
 
 

cadastre-se para receber
os Informativos.


Email:

 
 

 

 

 

 


15/07 - O JEJUM DOS PECADOS

Se o mês de Ramadã acabou, o jejum ainda não terminou. Pois se o jejum do Ramadã foi sobre os alimentos, então entendemos que o jejum maior para abstinência dos pecados, que dura o ano todo, não terminou.

É o que afirmou o Sayed Sharif Al-Amili, em sua homilia durante a Oração de Sexta-Feira (8/7), na qual continua:

Portanto, me dirijo aos pecadores que se arrependam a Deus por meio deste versículo sagrado do alcorão que nos revela:
 Surata al Az-Zumar,53:

Dize: Ó servos meus, que se excederam contra si próprios, não desespereis da misericórdia de Deus; certamente, Ele perdoa todos os pecados, porque Ele é o Indulgente, o Misericordiosíssimo.”

O pedido de perdão a Deus é um retorno para com Deus saindo do pecado para a obediência.

E antes de falarmos sobre o arrependimento, falaremos sobre o pecado. Deus o Altíssimo sinaliza para o pecado de Adão (a.s). Revela-nos o Sagrado Alcorão na surata Al Bacará, 37:

“Adão obteve do seu Senhor algumas palavras de inspiração, e Ele o perdoou, porque é o Remissório, o Misericordioso.”

Não existem divergências entres as religiões no tocante ao fato de que os profetas são imaculados com relação aos pecados.

Mas a divergência está entre estas duas religiões: o Islã e o Cristianismo. Por exemplo, a religião cristã nos revela que Jesus Cristo é filho de Deus. E que Deus o crucificou para purificar Adão(a.s) de seus pecados. E por meio deste pensamento começaram a purificar os pecadores de suas faltas porque acreditam que o pecador pode relatar os seus pecados diante de um padre.

Mas, quando veio o Islã, este anunciou com sinceridade o fim das revelações divinas que foram antecessoras a ele. Por meio desta surata - A Família de Imran,85, Allah nos revela:

“E quem quer que almeje (impingir) outra religião, que não seja o Islã, (aquela) jamais será aceita e, no outro mundo, essa pessoa contar-se-á entre os desventurados.”

Mas, com relação Adão(a.s) ser imaculado e também aos profetas, a logica para esta declaração é:

1) Faz-se obrigatória a obediência a um profeta. Se imaginarmos que um profeta não é imaculado e que seja possível ele pecar, portanto porque Deus nos culparia por fazermos um pecado que ele nos obrigou a fazê-lo? Portanto, esta é uma prova de que o profeta tem de ser imaculado. E se ele não for imaculado, não se torna obrigatório obedecê-lo. Mas, como a obediência a ele é obrigatória, então ele tem deser imaculado.

Aqueles que negam serem os profetas imaculados apresentam a surata de José,24:

“Ela o desejou, e ele a teria desejado, se não se apercebesse da evidência do seu Senhor. Assim procedemos, para afastá-lo da traição e da obscenidade, porque era um dos Nossos sinceros servos. “

E chegou à conclusão a Sua Eminência, por meio da surata de José, no vers.51, que cita:

"O rei perguntou (às mulheres): 'Que foi que se passou quando tentastes seduzir José?' Disseram: 'Valha-nos Deus! Não cometeu delito algum que saibamos'. A mulher do governador disse: 'Agora a verdade se evidenciou. Eu tentei seduzi-lo e ele é, certamente, um dos verazes'".

E também chegaram à conclusão de que o Profeta Muhammad(s.a.a.w) não é imaculado e que teria muitos pecados se utilizando da surata do alcorão Al Fath, 1-3:

“Em verdade, temos te predestinado um evidente triunfo, (1) Para que Deus perdoe as tuas faltas, passadas e futuras, agraciando-te e guiando-te pela senda reta. (2) E para que Deus te secunde poderosamente.”

É verdade que o profeta Muhammad (s.a.a.w) era pecador diante de seu povo, porque convidou os idólatras ao monoteísmo, mas não foi pecador diante de Deus o Altíssimo. Porque ele contrariou as crenças e praticas religiosas dos politeístas e veio com novas normas, que extinguíam o paganismo.

Mas, com relação ao Profeta Adão (a.s), há várias provas de que ele era imaculado e nos é suficiente sabermos este dito do Imam Al Redha (a.s), quando disse:

“Deus o Altíssimo criou Adão (a.s) para a Terra e não o criou para o Paraíso. E o pecado ocorreu no Paraíso e não na Terra. Então, quando o enviou à Terra, o tornou imaculado, quando nos revela na surata A Família de Imran, 33: 'Sem dúvida que Deus preferiu Adão, Noé, a família de Abraão e a de Imran, aos seus contemporâneos'”.

Mas, o pensamento do Islã sobre o pecado e o arrependimento e sua resposta à religião cristã será revelada na semana que vem, se Deus quiser.

 

 

| voltar



 

 

 
Rajab de 1438





Acesse a versão Real Paper do Jornal Assiráj
Clique Aqui












 

 

 

inicial | artigos | notícias | contato


2007 Todos os Direitos Reservados - ibeipr.com.br ®
Desenvolvido por Fatcho